Arquivo do mês: abril 2012

O Alfa e o Omega –

Fica claro que as Escrituras indicam em todas as ocasiões que Deus fez de si mesmo o fim de todas as suas obras, como se o mesmo ser que é a causa primária fosse o fim último de todas as coisas. Lemos, portanto, em Isaías 44.6: “Assim diz o SENHOR, Rei de Israel, seu Redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último, e além de mim não há Deus”. Isaías 48.12: “Eu sou o mesmo, sou o primeiro e também o último”. Apocalipse 1.8: “Eu sou o Alfa e Omega, diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso”. Apocalipse 1.17: “eu sou o primeiro e o último”. Apocalipse 21.6: “Disse-me ainda: Tudo está feito. Eu sou o Alfa e o Omega, o Princípio e o Fim”. Apocalipse 22.13: “Eu sou o Alfa e o Omega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim”.

Uma vez que Deus é chamado com tanta freqüência de último e de fim, bem como de princípio e primeiro, fica implícito que ele é a causa primária e eficiente e a fonte da qual todas as coisas se originam; assim, ele é a causa última e terminante para a qual elas foram feitas; o ponto final para onde todas elas convergem. Esse parece o significado mais natural dessas expressões e é confirmado por outras passagens paralelas, como Romanos 11.36 (“Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas”). Colossenses 1.16 (“pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele”). Hebreus 2.10 (“Porque convinha que aquele, por cuja causa e por quem todas as coisas existem”) e Provérbios 16.4 que diz claramente: “O SENHOR fez todas as coisas para determinados fins”.

Também se pode observar o modo pelo qual Deus é retratado como o último, para o qual e pelo qual todas as coisas existem. As Escrituras mostram claramente que essa maneira é oportuna [isto é, apropriada] e adequada, uma ramificação da sua glória; uma prerrogativa que convém a um Ser grande, infinito e eterno; algo próprio da dignidade daquele que está infinitamente acima de todos os outros seres, que é a origem de todas as coisas, do qual todas as coisas consistem e, em comparação com o qual todas as outras coisas são nada.

Anúncios
Categorias: Artigo | Tags: , , , , , , , | 1 Comentário

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.